Justiça condena empresas a pagarem mais de R$ 2 milhões por acidente de trabalho

O Tribunal Regional do Trabalho da 17ª Região (TRT 17º R.), condenou duas empresas a restituírem valores referente ao pagamento de, aproximadamente, R$ 2 milhões por acidente de trabalho. A causa foi defendida pelo advogado Domingos Salis de Araújo, que obteve êxito na execução do trabalho.

 

As empresas Espírito Santo Centrais Elétricas S.A. (ESCELSA) e Delta Eletrificações e Serviços Ltda foram condenadas solidariamente ao pagamento de R$ 1,5 milhões por danos morais e estéticos, além de R$ 1 milhão por dano material por consequência ao acidente de trabalho.

 

Entenda o caso:

Na empresa Delta, – terceirizada ESCELSA – funcionário foi eletrocutado quando realizava o atendimento a uma ordem de serviços de manutenção de uma instalação elétrica em uma propriedade rural. O acidente causou a perda de um braço e uma perna, bem como diversas queimaduras de terceiro grau por todo o corpo.

 

De acordo com o relatado pelo Dr. Domingos Salis de Araújo, as empresas foram responsabilizadas por não exigirem dos funcionários treinamento específico exigido por lei, além de não seguirem medidas que garantiam a segurança do funcionário.

 

Verificou-se também que as empresas possuem método de supervisão ineficiente, sendo que duas equipes foram designadas para o mesmo local. O funcionário chegou ao local e desenergizou a rede para a realização do serviço, contudo a segunda equipe chegou ao local e sem ciência de que o trabalho já estava sendo feito, energizou a rede, o que causou o acidente.

 

Devido a estes fatos, as empresas foram responsabilizadas pelo acidente e condenadas por danos materiais, morais e estéticos. Além disto, as empresas terão que arcar com quaisquer despesa médica e hospitalares que possa vir a fazer necessário.

« Voltar